sábado, 5 de março de 2011


Teoria vitaltranscendental.

O ser descendente recebe a herança funcional e genética de um desenvolvimento vital funcional e vitalprocessual anteriormente produzido e desenvolvido.

Os genes transfere a herança, mas a herança desenvolvida é a vital transcendental de todo univeros vital anteriormente processado e desenvolvido.

Vitaliun – teoria da unificação biológica e biopsicológica.

As características que são transmitidas aos descendentes não são por genes, mas sim por características do funcionamento processual e funcional metabólico físico e bioquímico que ocorre nas células.

O tipo de característica do funcionamento físico das células que são transmitidas aos descendentes que determina o tipo de ser, de mente, funcionamento vital e físico metabólico do novo ser.

O vitaliun é a característica viva do ser que é transmitida aos descendentes.

Na verdade é uma parte de dois seres que são transmitidos e formam um novo ser.

Esta parte viva que forma o novo ser é o vitalium.

A soma deste dois seres que forma um novo ser. E isto garante que possa haver sistema de mudança vital para os descendentes.


Seres que produzem a sua própria reprodução sem usar um outro de sexo diferente. Estes já criaram sistema de evolução para que haja uma melhora evolutiva e que se protejam de futuras doenças, pois criaram sistemas de defesa para esta evoluírem e que não venham a desenvolverem doenças.

Assim, não é são o gene responsável pela descendência, mas sim, o vitaliun que está presente em todas as células.

Assim, o novo ser é o prolongamento de um. No caso de seres que não precisam de outro de sexo diferente.

E novo ser que é o prolongamento de dois. No caso de seres que precisam de macho e fêmea para a reprodução.

As características funcionais metabólicas, físicas e bioquímicas, psíquicas, lógicas e racionais, vitais e reprodutivas são próprias e individuais de cada ser.

E estas características que são o vitaliun que formam o novo ser.


A produção de energia pelos ribossomos varia em intensidade e quantidade de ser para ser. E esta diferença que determina a funcionalidade vital de cada ser. E que vai produzir uma determinada produção bioquímica e metabólica.

Este conjunto de fatores que determina o que é o ser vivo. A sua mente, psiquê, reprodução e transcendência a novos seres.


Ou seja, o ser vivo é o conjunto de produção de energia, que produz a física, química, e metabolidade do ser.


O tipo deste funcionamento que determina a evolução de espécies pelo psíquico vital, e da mente do ser, e das características transmitidas nos descendentes.


É bom ressaltar que o funcionamento vital é regido por poderes divino, vital e psíquico.

O que se tem no novo ser que forma o seu vitaliun. O vitaliun funcional do ser que é transmitido ao novo ser e vem formar as suas características.

O VITALIUN É O UNIVERSO VITAL DO SER E É A TRANSCENDÊNCIA AO NOVO SER.

O novo ser é no seu todo o tudo que tem em seus dois transmissores [pais – macho e fêmea],

Ou no ser assexuado só recebe uma transcendência.



CÓDIGO VIVO, FUNCIONAL E COM CARACTERÍSTICAS PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA E DA VIDA.


Código vital pelo funcionamento vital.

Código psíquico pelo funcionamento vital e psíquico.

Código de produção de energia nos ribossomos pela produção de energia e funcionamento vital e psíquico.

Que produz a característica bioquímica e metabólica da vida e da mente do ser. Que vai determinar o tipo de vida e ser que o mesmo está processando e que venha transmitir aos seus descendentes.

Ou seja, o tipo de produção vital, psíquica e metabólica depende do tipo de produção de energia. Onde vai produzir no ser um tipo de bioquímica e de fases de transformação bioquímica e biofísica.


Esta característica de produção e funcional que produz o tipo de ser e de mente do ser.

E estas características funcionais e de produção que são transmitidas aos descendentes. E que é o vitaliun.





São códigos vivos e funcionais. E o que é transmitidos são estas características vivas, funcionais e de como estão sendo produzidas e processando energia, metabolidade, e processos bioquímicos e biofísicos.


Incluir a biologia, psicologia e fisiologia graceliana. Publicada na internet.

Que se unificam entre si como produtores e estruturas de fenômenos regidos por produções de energia dos ribossomos.

A produção de energia dos ribossomos é o agente regedor dos fenômenos psíquicos, vitais e biológicos.

Esta produção de energia dos ribossomos que determina a produção metabólica, bioquímica, biofísica e funcional dentro do ser vivo.

Os genes são também produções biovitais e bioquímicas, ou seja, o descendente é um prolongamento do ascendente. E os genes são funções vivas dos ascendentes que formam os descentes.

Ou seja, é o mesmo em outro espaço, que passam a produzir as suas próprias funções biovitais com tipo e características funcionais e metabólicas do ascendente. Logo, é outro e um prolongamento dos ascendentes [pai e mãe].


O mesmo acontece com a bioquímica do ser, a evolução, a mente e a fisiologia, o metabolismo, e todas os outros ramos da biologia. Fisiologia e psicologia.

Assim, a unificação ocorre numa dualidade.

Os poderes que regem e direcionam a biologia e psicologia na sua funcionalidade e desenvolvimento.

E a energia que acelera e produz os fenômenos.

E todos os ramos da biologia são formas e funções biovitais e metabólicas. Inclusive as de reprodução e as que levam ao desenvolvimento e a evolução.

A mente também ocorre por estes processos de produção de energia dos ribossomos, bioquímica e metabolismo.



O NOVO SER É UMA CONTINUAÇÃO DO PAI E MÃE PELO UNIVERSO VITAL.

Não é o gene que transmite as características. Mas as características funcional e individual de cada ser são transmitidas no todo funcional e individual. Ou seja, o óvulo e espermatozóide com todo seu universo vital, de poderes vitais e psíquicos e funcionais e metabólicos formam um novo corpo.

Cada ser tem o seu universo vital e funcional em processos e produção de energia, e esta carga do universo vital que dos dois ascendentes [pai e mãe] que forma o novo ser.

Ou seja, o universo vital funcional e em processos que cada um possui, e que o espermatozóide e óvulo também possui, tem características funcionais próprias.

1- E estas características funcionais que formam o novo ser.

2- E é nesta funcionalidade e processoalidade que forma o novo ser.

Ou seja, é o universo vital e funcional que se encontra no espermatozóide e óvulo que forma o novo ser.

E não só nos genes.

Ou seja, o óvulo e o espermatozóide como todas as outras células é um universo de tudo o que tem e já desenvolveu os pais, com as suas próprias características. Apenas há uma união de duas características diferentes formando um terceiro ser com as características dos dois ascendentes.


O que estou tratando aqui que todo o universo vital e funcional e em funcionamento processual não é só transmitido, mas é transportado o todo funcional e em processos onde continua sem interromper todo universo vital funcional e processual do espermatozóide e óvulo. 

Ou seja, é liberado ou retirado de um ser vivo e na forma viva e transportado para um outro local onde vai continuar os processos e o universo vital e processual em que ele se encontrava.

Ou seja, a vida não se reinicia, mas sim é transportada onde vai formar novos com as características dos pais.

As mudanças podem acontecer.

1- Entre a combinação do universo vital e funcional do pai e mãe.

2-E durante a vida e dentro do universo vital funcional e processual do ser.

Ou seja, o óvulo e espermatozóide são mais do que um material genético. Eles contêm a vida e características funcionais e vitais na sua essência de processos e metabolizações dos pais.

Ou seja, a vida não é só transmitida, mas sim transportada. Mudada de lugar onde vai ser formar um novo ser e continuar a vida dos ascendentes.


Características que são reveladas e surgem com a idade certa fazem parte do vitalium, pois o novo ser em cada fase de sua existência terá funções, metabolizações, produção de hormônios, processos biofísicos e bioquímicos, vontades e anseios psíquicos, vontades sexuais, aptidões lógicas e racionais, sentimentos e emoções, instintos e pulsões conforme fases especificas da idade vital do ser vivo.

Ou seja, estas características vitais estão no ser na forma de potencialidade que será aflorada e processada conforme as fases da idade vital de cada ser.

Esta potencialidade vital é mais uma prova que as características estão em todo universo vital da célula na sua forma processual, metabólica e psíquica celular transmissora [pct].

E não apenas nos genes. Pois a célula, o espermatozóide e o óvulo são um universo vital completo do ser.

Pois a vida não se refaz e surge uma nova, mas sim, ela é transmitida completamente de pai e mãe formando um novo ser que será a continuação dos ascendentes.


Pois o que nos interessa neste tratado é que.

1- a vida é transmitida.

2- Que a transmissão ocorre por processos biodinâmicos. E não estáticos.

3- Que o biodinâmico e vitaldinâmico carregam consigo as biopotencialidades, vitalpotencialidades onde partes das características do ser só serão afloradas no próprio quando o mesmo estiver naquela fase e idade para aquele determinado afloramento vital, psíquico, metabólico, funcional, bioquímico e biofísico, racional e outros.

Como exemplo, pode-se dizer. Vontades sexuais e reprodutoras com certa idade.

Doenças que surgem só com a idade.

Pensamento lógico.

E vários outros.

Assim, os genes são estruturas em produção vital, ou seja, em vitalização processual transmitindo e transportando características processuais já desenvolvidas.


Ciência da biopotencialidade. [Ver teoria da biologia craciológica graceliana].

O universo da vitalização cria potencialidades para a continuação e desenvolvimento vitais. Por um processo funcional e psíquico vital.



DENTRO DE UM GENE EXISTE UM OUTRO UNIVERSO SE PROCESSANDO COM ÍNFIMAS FUNÇÕES E VARIAÇÕES DE INTENSIDADES E CAPACIDADES PARA PRODUZIR ÍNFIMAS METABOLIZAÇÕES.


DENTRO DE UM GENE EXISTE UM OUTRO UNIVERSO SE PROCESSANDO E COM TANTAS PARTES, OU MAIS, E FUNÇÕES QUANTAS AS CÉLULAS DE UM CORPO HUMANO, E MAIS DA QUANTIDADE DESTAS CÉLULAS QUE FORMA UM CORPO.

POR ISTO OS GENES SÃO FORMAS DE PROCESSOS VITAIS – VITALIZAÇÃO – COM FUNÇÕES BIOQUÍMICAS, BIOFÍSICAS E BIOPSÍQUICAS. E CRIA E DESENVOLVE POTENCIALIDADES E FUNÇÕES PARA TRANSMITIR AOS DESCENDENTES.

NÃO É SÓ UM REGISTRO, MAS O REGISTRO É UMA CONSEQUÊNCIA DA FUNCIONALIDADE DESTE UNIVERSO VITAL.

NA VERDADE, O SER TRANSMITE E TRANSPORTA PARA OUTRO SER ESTA FUNCIONALIDADE COM TODA SUA FORMA E CARACTERÍSTICA E INTENSIDADE DE PROCESSAR E PRODUZIR SUAS FUNÇÕES VITAIS, BIOFÍSICAS, BIOQUÍMICAS E BIOPSÍQUICAS.









































Vitalpsicofuncionalidade.

PSICOVITALTRANSCENDENTALIDADE.
Mecanismo criados pela vitalidade para produção e transferência da vida. Sempre em direção a perfeição.


1-CRIA MECANISMO PARA A TRANSFERÊNCIA DE CARACTERÍSTICAS dos seres aos descendentes.
Genética.



2-CRIA MECANISMOS DE APERFEIÇOAMENTO DE CARACTERÍSTICAS FUNCIONAIS, metabólicas, morfológicas que são transmitidas a novos seres.
Evolução psicodirecionada.



3-CRIA CAPACIDADE DE COORDENAR TODAS AS FUNÇÕES vitais, psíquicas, metabólicas, e transcendentais, produzir anticorpos compatíveis a invasores ao perfeito funcionamento anteriormente programado.
Psicovitalismo.


4-CRIA MECANISMO DE PRODUZIR E SINTETIZAR elementos químicos, funções físicas, químicas, biológicas, metabólicas, de produção de energia no interior do ser.  De mecanismos psíquicos.
Psicovitalbiofisicoquimico.


5- vitalfisica – criação pela vitalidade de absorver e metabolizar energia.


6- vitalquimica- criada pela vitalidade para transformar e metabolizar elementos químicos.


7- vitalpsiquica –criada pela vitalidade para coordenar todas as funções vitais, físicas, químicas, de energia, metabólicas, de defesa e ataque [ reconhecimento de invasores e produção de anticorpos]. de reprodução, transferência da vida na produção de descendentes. E a psíquica.






Teoria da vitalfuncionalidade.

Mecanismos criados pela vitalidade para a funcionalidade, perfeição e transcendência da vida.



A BALANÇA DA VIDA.

Os seres menores de tamanho e de peso são os que têm mais tempo de vida, em proporção ao seu tamanho, se compararmos o seu tamanho e peso com os outros seres maiores.

Se compararmos uma formiga com o homem, veremos que a formiga pode passar de mil anos.

Este é um dos grandes enigmas da vida e da evolução, pois se os maiores são os mais evoluídos e produzem maiores funções vitais.

Por que a evolução não produziu capacidades vitais para manter estes seres com maior tempo de vida?

A resposta pode estar no elemento primordial para a vida e para a morte. Que é o oxigênio. Que é o elemento fundamental na respiração e metabolização química e produção de energia.

Porem, também prejudica as funções vitais, levando as células a morte. Com consequencia o envelhecimento e a morte do ser.

Enquanto os menores possuem menos material vital, e usam muito menos o oxigênio.

Existem besouros que nascem num meio tampado com pouco oxigênio, e ainda consegue viver por alguns dias.


Ou seja, a evolução ainda não cuidou de todos os detalhes para produção e permanência da vida.



Dessemelhantismo.

Autor – Ancelmo Luiz graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Rosa da penha, Cariacica, Espírito Santo, Brasil.


Colaborador. Márcio Piter Rangel.

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil - Direitos Autorais.

Agradeço a algumas faculdades que estão incluindo os meus trabalhos em seus currículos.

Os elementos químicos não têm o mesmo processo na sua formação e produção. Por isto que o ferro estanca uma fase na produção dos elementos.

Isto se pode constatar na quantidade dos elementos químicos na natureza.



Sobre a dessemelhança na produção das espécies.

A produção das espécies não é semelhante.

Cada espécie e família desenvolvem formas diferentes de produzirem o seu aprimoramento, que é conforme o seu potencial vital.

Por isto que tem espécies com potencialidade e funções vitais com instintos mais desenvolvidos, outros têm a audição desenvolvida, outros têm capacidade para mudar de cores, formas, cheiros, etc.


A origem da vida pode não ser única.

Por isto que temos os corais.


O que diferencia o homem dos outros animais é o espírito. O espírito é produzido durante a fecundação.

TRATADO DA RAZÃO CRACIOLÓGICA.


Autor – Ancelmo Luiz graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Rosa da penha, Cariacica, Espírito Santo, Brasil.


Colaborador. Márcio Piter Rangel.

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil - Direitos Autorais.

Agradeço a algumas faculdades que estão incluindo os meus trabalhos em seus currículos.




A realidade é produzida e faz parte de sua natureza a razão de poderes, potencialidades, programações pré-determinadas e direcionamentos.

E que produzem uma ordem e harmonia funcional, estrutural e transcendental em direção a uma perfeição, através de poderes de aperfeiçoamentos.

E está organização regida por poderes segue uma lógica e racionalidade tanto no âmbito cósmico, craciológico, vital, e psíquico. E também metafenomênico existencial [ver metafenomenia graceliana].

Assim temos um direcionamento, uma programação, um propósito para existir e um objetivo a ser alcançado.

Com isto o poder não é só um poder ou uma potencialidade. Pois o poder segue uma racionalidade e logicidade que faz parte da natureza da realidade com objetivo claro a ser alcançado e para se tornar realidade, ou seja, É UMA METAFÍSICA RACIONAL.
 Pois a própria realidade é racional e o universo lógico e de poderes que compõe o ser, o cosmos, a realidade, a natureza e a mente.

E que mantém, perpetua e transcende a vida, o ser, a realidade, a razão, o cosmo e o próprio poder.

Com isto o poder e a realidade são constituídos de racionalidade não sua essência de ser.


SOBRE O CONHECIMENTO.

O conhecimento é parte do projeto cósmico, metacósmico e de poderes.


1-      O conhecimento existe antes da mente, do ser e das idéias.



Formas de conhecimento.

Conhecimento divino – tudo conhece.

Conhecimento cósmico – se encontra na ordem e harmonia cósmica.

Metacósmico – é o direcionamento existencial da realidade, que é anterior à própria realidade.

De poder e de potencialidades que regem a realidade, a vida, e a mente.

De poder, funcionalidade e aprimoramento – rege o funcionamento da realidade e da vida.

O aprimoramento é poder e uma racionalidade natural.


Vital – existe dentro da vida e rege todo o funcionamento da vida.

Transcendental – transcende de vida em vida dentro da própria vida.  Renovação celular e nascimento.

Espiritual – os espíritos conhecem o medo e tem as suas faculdades e racionalidades.

Genético e inato – recebe dos pais ao nascer.

Inconsciente e dinâmico – a mente trabalha sozinha e revela por consciência aos seres.

Consciente de relações e aquisições.


Com isto não existe só o conhecimento produzido pela mente, mas sim, outros mais profundos, anteriores, e produtores das ferramentas do conhecimento da mente.

Entre os mais importantes de todos são o divino, o cósmico e o vital.


A emoção, a estética, os instintos possuem uma racionalidade e lógica própria pelo inconsciente vital e inconsciente mental – o ser os usa inconscientemente sem ter noção que já foi elaborado um processo lógico para o seu uso.



A própria potencialidade vital de se modificar, mudar de cor, produzir cheiros são formas de conhecimento vital.
Ver as teorias craciológicas graceliana.

Metafenomenia graceliana.

Metapsicologia graceliana.

Crácio rés – teoria graceliana.

E a metacosmologia graceliana.

E outras.

Publicadas na internet.











Terceira teoria de psicovitalidade graceliana

A PERSONALIDADE NÃO EXISTE COMO RESULTADO E PRODUÇÃO DO INCONSCIENTE, OU DOS INCONSCIENTES QUE FORMA O SER. MAS SIM, EXISTE COM RESULTADO E CONSEQUENCIA DO UNIVERSO VITAL.

Psicovitalgênese.

Psicovitalogia graceliana

As neuroses surgem por causa de mau funcionamento vital.

O ser vivo não nasce numa sociedade que ele vai ser moldado por esta sociedade, mas sim ele nasce num universo vital, que ele será moldado conforme este universo.

A mente, a psique tem haver com o universo vital que o constitui.

As neuroses  e psicoses são causas de mau funcionamento vital do ser vivo. Que produz este mau funcionamento, levando-o a neuroses e psicoses.

Neuroses e psicoses não tem haver com sexualidade.

A sexualidade é parte e função de reprodução e transcendência da vida.

 E não produz a  neuroses. Ou seja, é mais uma ferramenta produzida pela vida para trabalhar em função da vida.

Pode-se confirma o que está sendo sustentado que famílias e irmãos possuem desvios psíquicos e neurose. Logo também é genético.


O ser vivo não nasce num meio social que vai moldar a sua personalidade, mas sim ele nasce com um potencial vital, que o constitui. E produz a sua mente, a sua personalidade, anseios, existencialidade.

Ou seja, ele é um todo dentro dele mesmo, e este todo que vai refletir a sua psique e personalidade.

Ele é o eu funcional, eu vital. Que produz a personalidade.

As variações de personalidade ocorrem a todo momento, e variam em grau conforme o universo vital se encontra no seu funcionamento.

A sexualidade não tem função na formação da personalidade, da psique ou do inconsciente.
A sexualidade tem a função reprodutiva e transcendental da existência do ser vivo.

A personalidade, a psique e o inconsciente já nasce com a pessoa. E faz parte do seu universo vital.

Que é recebido por herança e continuidade dos ascendentes.

O ser nasce com vários elementos e componentes que forma o seu universo vital. Dentro do universo vital tem o universo psíquico. e a personalidade, psique, mente, racionalidade, emoções, inconsciente, eu, mim, sobre mim. E outros. Todos fazem parte deste universo psíquico.


A sexualidade faz parte do universo reprodutivo, transcendental e orgânico. Não tem ligação com o universo psíquico.

Apesar de que o universo sexual também é parte do universo vital.

Assim, o ser vivo já nasce com o seu inconsciente, e o seu inconsciente de comportamento e de personalidade.

Apenas vai registrar neste inconsciente acontecimento, valores, padrões, comportamentos adquiridos. Porem já nasce consigo a base, a estrutura do seu inconsciente e do eu. do mim, e do voltado para si.

A estrutura do inconsciente é parte do universo psíquico e vital, e que lhe é transmitido pelos ascendentes.

A neurose é parte do mau funcionamento do universo vital e spiquico.

Não tem haver com sexualidade socialidade.

O universo psíquico procura o encontro de si e satisfação existencial com o universo vital.

As neuroses não são provocadas pelo desvio da originalidade das pessoas, através de bloqueios sexuais e sociais à afetividade. Portanto um fenômeno sócio político.

Mas sim, a neurose é parte da natureza produzida pelo mau funcionamento do universo vital e psíquico. que é recebido da herança dos ascendentes.

Ou seja, a neurose está antes dele, é inata e faz parte da sua natureza vital, psíquica e inconsciente.

O bom funcionamento também é parte da herança vital e psíquica.

O ser já nasce neurótico, quando o é, conforme a situação este mau funcionamento é revelado.

Se colocar dois irmãos diante de uma situação difícil cada um terá uma comporaamento diferente.

Não somos movidos pelo incosnciente, mas sim, pelo universo vital e psíquico. que está alem do inconsciente. Pois o universo vital rege o corpo e seu funcionamento e também a mente, o eu, as fuçoes do corpo, reprodução, a transcendência.




O inconsciente nasce com sua base estrutural pronta.

O sonho é uma ferramenta vital, com funções vitais e psíquicas e metabólicas.

Ou seja, não tem origem sexual, libidinal, de pulsões e instintos, mas sim tem função vital a desenvolver com o seu funcionamento.

O desejo não é o desejo do outro, mas sim de si.



A personalidade é parte da natureza vital e universo vital do ser vivo.

Ser vivo e personalidade e funcionalidade vital são componentes deste universo vital, que se estruturou no ser vivo durante todo desenvolvimento de seus ascendentes.

Em cavalos e constatado que o comportamento, a aprendizagem, as emoções variam de raças para raça, e conforme a linhagem.

Ou seja, mesmo os animais possuem comportamento se formou durante varias épocas antes daquele ser.

Assim, ele com a personalidade porque é parte [componente] da sua natureza vital e universo vital que se formou durante milênios.

A personalidade não tem haver com o inconsciente vital, mas sim, inconsciente e personalidade são dois componentes do universo vital e fazem parte da sua natureza.

Inconsciente vital e personalidade trabalham juntos, e um não determina o outro.

E universo vital e natureza vital determina e produz os dois.


A PERSONALIDADE NÃO EXISTE COMO RESULTADO E PRODUÇÃO DO INCONSCIENTE, OU DOS INCONSCIENTES QUE FORMA O SER. MAS SIM, EXISTE COM RESULTADO E CONSEQUENCIA DO UNIVERSO VITAL.

A personalidade  o comportamento não é produto do inconsciente , inconsciente natural, inconsciente vital. Mas sim é produto do universo vital formado pela natureza vital que se formou durante todo processo de formação da vida daquele ser e de sua espécie e família biológica.

O universo vital que forma o ser vivo, todo seu funcionamento orgânico, reprodutivo, funcional, estrutural também forma o inconsciente e a personalidade, e a sexualidade.

Ou seja, a personalidade não depende do inconsciente para existir, mas sim,  ambos dependem do universo vital.

Existe ramos de famílias que todos os irmãos e primos tem problemas psíquicos, outros com neuroses, outros com síndrome de dow.

CENTRO DE CONTROLE DO FUNCIONAMENTO VITAL.

QUE DETERMINA A MENTE, O INCONSCIENTE, A PERSONALIDADE, O COMPORTAMENTO, O FUNCIONAMENTO VITAL E ORGÂNICO. E PRODUZ O UNIVERSO VITAL.

O mau funcionamento do universo vital que vai produzir doenças, em alguns na fase ainda nova, em outros na fase de amadurecimento ou velhice.

Em outros vai produzir neuroses, depressão, mau de pânico, psicose, síndromes de medo, angustia, insônia, pesadelos, etc.

Que tem haver com os processos metabólicos produzidos pelos organismos. Que já tem causa na origem pelo universo vital.

O centro de controle do funcionamento vital produz o universo vital, e que ambos vão produzir a funcionalidade do ser. Tanto física, química, metabólica, orgânica, estrutural, funcional, de inconscientes e conscientes, de personalidade, comportamento, emoções, sentidos, e racionalidade, memória e pensamento lógico.


ÓRGÃOS E FUNÇÕES DO ORGANISMO NA PRODUÇÃO DA PERSONALIDADE.

Uma pessoa com anemia –falta de ferro é uma pessoa triste e propensa a ter uma grande depressão se surgir algum abalo psíquico na sua vida.

Uma pessoa com problemas de rins é uma pessoa desanimada, cansada, triste e propensa ter problemas de depressão.

Uma pessoa com problemas do coração e circulação é uma pessoa alterada, e fica agressiva com facilidade. Ou seja, a densidade do sangue, a circulação deste sangue influencia no comportamento e personalidade da pessoa. Tem mais facilidade de se tornar um neurótico.

Uma pessoa com problemas de fígado tende a ter problemas comportamentais que podem mudar conforme situações adversas. Em momentos dócil, em outros agressivo. Ou seja, é uma pessoa com diversas personalidades. E pode se tornar um neurótico sem passar por uma fase de depressão.
O metabolismo do organismo também determina a personalidade, que pode produzir um individuo triste, agressivo, eufórico, depressivo, ansioso.

Ou seja, a mente é um produto de todo universo vital, que age sobre o funcionamento do organismo, e que este funcionamento tem uma herança dos antepassados produzida pelo direcionamento, poder e universo vital.

Como exemplo pode-se citar uma nação de ansiosos que são os italianos. Pois eles já carregam isto com eles, e transmitem aos seus descendentes.








Craciogênese.

A vida surgiu do poder divino e é transmitida pelo poder e direcionamento vital.

A matéria não produziria a vida, com emoções, racionalidade lógica, com espírito.

A matéria não produz o espírito, como o espírito não produz a matéria. Mas o poder divino produz o espírito e o desenvolvimento da material.

Assim, a vida nasce do poder divino que produziu e produz matéria viva, espírito e vitalidade.

Depois de produzido surgiu a transmissão, ou transcendência de pai para filho. O filho é o prolongamento do pai.

Assim, temos – divino – poder divino – espírito – matéria e vida. 

Crítica da razão vital e transcendental. Analise da razão vital e transcendental.

A razão, a forma lógica de pensar, comportamentos, personalidade, valor existencial do sujeito no universo, neuroses, imaginação, memória, e outros são fenômenos que o poder vital e o universo vital desenvolveu durante milênios e que são transmitidos aos seres que nascem, desenvolvem mais alguns elementos que vão se juntar aos anteriores. E que serão transmitidos aos descendentes.

Por isto que a razão com todos as suas formas e elementos são produzidos pelo universo vital, conforme a sua potencialidade e transmitidos aos seres que carregam e transmitem os elementos da racionalidade.

E outros elementos vitais, psíquicos e existenciais.