sábado, 5 de março de 2011


METAFÍSICA DA ORDEM SUPERIOR.

A ordem do mundo.

O mundo é uma metafísica de poderes que seguem uma ordem em direção a um fim.

E o fim e o meio e o inicio é a própria funcionalidade e existência do mundo e do ser.

Ou seja, o mundo segue uma ordem superior e de poderes que está e age sobre todas as coisas e realidades.

A ordem superior é o ser absoluto de poder e inteligência que projeta, direciona e potencializa para existir, processar, funcionar, aprimorar, reproduzir, transcender, existencializar e perpetuar, e harmonizar o cosmo nos seus fluxos e avanços e retornos sempre em direção à perfeição.

A ordem já retrata a realidade, de ordenamento e poder. Pois onde era para existir nada, tudo existe.

Onde era para existir caos há ordem, harmonia, progresso, transcendência, poder e aprimoramento.

E o objetivo é a existência.

Por isto que o cosmo segue uma harmonia e fluxos. Os astros se afastam lentamente entre si dando lugar a outro a se esferificar.

Os átomos se processam num fluxo de sistema atômico na produção dos elementos. Onde elementos leves produzem os pesados e os pesados produzem os leves.

Os espíritos vagam pelo espaço após a morte, ou mesmo espíritos de vivos podem sair do corpo e dar um passeio de vez em quando ou fazer uma visita a um doente.

E vive dentro do ser que o gerou. Pois os espíritos são gerados durante a gestação do ser.

Os espíritos carregam consigo características dos pais, ou seja, as características espirituais dos pais são transmitidas aos espíritos dos filhos.

O espírito é um outro ser que habita o corpo vital do homem ou mulher.

A vida tem a sua própria ordem, potencialidades, poderes que processa a matéria para servir só como um substrato para ali existir e processar e prosseguir a sua existência.

Ou seja, existe uma ordem, um direcionamento metafísico sobre a vida, em que a essência não é a vida, mas a existência do ser e do cosmo.

O objetivo é a existência não só da vida, mas de todo o cosmo.

Ou seja, existe um propósito maior, superior e absoluto em que todos estamos inseridos, e fazemos parte dele, e somos consequência e projeto deste propósito superior.

Ou seja, pensamos por que processamos o pensamento, e que é um desenvolvimento vital que vem se aprimorando durante muitos anos. E este desenvolvimento vital é uma consequência deste projeto superior que é o projeto divino.

Racionalidade divina - O ser absoluto – Deus – tem a sua própria racionalidade.

Harmonia cósmica. O cosmo funciona como uma maquina programa para funcionar com processos, produções e fluxos sucessivos onde a harmonia e a ordem são a essência.

Racionalidade vital -A vida tem a sua própria racionalidade, pois a vitalidade é inteligível e constrói o seu próprio mecanismo, direcionamento, reconhecimento e aprimoramento para se manter viva, vital e existencial.

Racionalidade natural -A racionalidade tem a sua própria direção. Sem que o homem ou mulher deseja, a própria racionalidade inconsciente funciona naturalmente, seguindo uma ordem e lógica própria independente do ser ficar querendo aquele tipo de pensamento ou resultado naquele momento.


PODER E ORDEM SUPERIOR.

Ou seja, todo o cosmo é regido por um poder e ordem superior e absoluto. E este poder e ordem que produz e determina a realidade em que estamos inseridos e somos parte transcendental dela.

Porem o propósito não é ser transcendental, mas a reprodução mantém a essência do propósito da ordem superior e absoluta. Que é manter a existência e a vitalidade do ser, dos poderes, potencialidades, racionalidades do ser.

E manter a harmonia cósmica sobre todas as coisas. Por isto que os sistemas astronômicos seguem um alinhamento inicial. Os secundários acompanham os primários através do espaço, enquanto o sistema de produção de energia nos sistemas atômico prospera em fluxos constantes, variáveis e infinitos.



O SER VITAL.

Como nos temos dentro de nós um ser próprio de inteligência, poder, potencialidades, funcionalidades. E aprimoramentos.

E é este ser que nos produz.

Nós temos discernimentos, cognição, defesa. Se olhamos para frente para ver um objeto e não tropeçarmos nele. O mesmo acontece com o ser vital, pois este está preparado para ver e olhar para frente, detectar e produzir defesas sobre este ser que vêm ataca-lo.

Este ser vital não é o homem. O homem é o ser da consciência e da inconsciência, pois é produto do ser vital.

O ser vital é um universo próprio, uma realidade própria. E com razão e racionalidade própria.

O homem não é o agente de si, mas o ser vital que é o agente do homem.

A existencialidade do homem, a procriação do homem é uma construção do ser vital. Ou seja, o homem é o homem. E o ser vital é outro ser que determina e produz o homem.

O ser vital é uma realidade vital com inteligência, cognição, reconhecimento do mundo dentro de si e fora de si.

A realidade vital trabalha e desenvolve potencialidades e funções para a sua funcionalidade e aprimoramento.

O aprimoramento é uma potencialidade natural no ser vital, ou seja, é uma realidade direcionada para o futuro.

A realidade vital se processa em fluxos de funções e aprimoramentos sempre em direção a uma perfeição, que o objetivo é a eternidade de si e a existencialidade eterna.

O ser vital realiza suas funções para existir, e não que existe para realizar suas funções.

O homem não é nenhum super-homem, e nem o ser vital, muito menos o cosmo, pois todos são regidos por poderes e direcionamentos de um poder superior – regedor de todas as coisas e fenômenos.

O ser vital constrói cognitivamente potencialidades e funcionalidades de reconhecimento de ataques e corpos estranhos e produz defesas para atacá-los. Ou seja, o ser vital é um ser superior ao próprio homem. Mesmo sendo o homem um ser produto do ser vital.


O ser humano não é o ser superior, muito menos um super-homem, a vitalidade está acima do ser humano.

A existencialidade é uma essência e está acima da vitalidade.

E a ordem e o poder acima da existencialidade.


A essência da mente não está no pensamento, na idéia, no consciente ou inconsciente, mas sim, no universo vital. Só pensamento o que deseja e aprimora o universo vital com seus poderes e potencialidades.

Ou seja, a mente é uma ferramenta da vitalidade construída para servir como instrumento em prol da eternidade da existencialidade da vitalidade, para depois ser a eternidade do homem.

POIS, DEUS É O PODER E ORDEM SUPERIOR SOBRE TODAS AS COISAS E FENÔMENOS E PODERES.

1-      o mundo é regido por poderes.
2-      Como também a realidade, o ser, a vitalidade, a transcendentalidade, a essencialidade, a existencialidade, a potencialidade e a unicidade e multiplicidade.


1- O poder divino é primeiro e absoluto.

2- Depois o poder cósmico – há um poder cósmico regendo a harmonia e ordem cósmica. Através de afastamento progressivo, processamento e fluxos, alinhamento, fluxos de reintegração e desintegração  do cosmo, astros e átomos.

3- Depois o poder vital - que age sobre o funcionamento, aprimoramento, transcendência da vitalidade, vida, razão e ser.

4-Depois o racional vital e psíquico. pois não é a racionalidade mental que existe, existe também a racionalidade vital, e que também determina a racionalidade mental e psíquica.


5 – depois o existencial – o ser não existe só para produzir a vida, porem a ele existe como uma consequência da existencialidade do ser.



A ORDEM SUPERIOR É.

A harmonia. O poder. A própria ordem. A existencialidade. O projeto. A funcionalidade. A eternidade. O aprimoramento. A vitalidade. A racionalidade vital.



METAFÍSICA DO PODER.

A vitalidade não é um materialismo, idealismo, funcionalismo ou fenomenalismo.

Mas sim, a vitalidade é um existencialismo, um craciologismo e um ordenalismo.
Assim, a idéia é a vitalidade.

O fenômeno da vitalidade é regido por poder e ordem superior.

O conhecimento pelas idéias e pensamento não é a única forma de razão que existe.

A vitalidade e a ordem superior possuem a sua própria racionalidade.

Ou seja, o conhecimento não está na matéria, nos processos, nos fenômenos, nas idéias, mas está no desenvolvimento lógico da vitalidade, no aprimoramento vital, na essência da vitalidade e da existencialidade.

Por isto que a vitalidade constrói e aprimora suas ferramentas, órgãos e funções para servir um objetivo maior, projetado por uma ordem superior que é manter a vida e a existência.




O VITALISMO NÃO É UM FENOMENALISMO,

Mas sim,

1- é um ordenalismo superior.

2-      é um craciologismo – pois, é o poder e a ordem superior que direciona, produz e projeta a vida, a razão, a existência, o ser e a realidade. E possui a sua própria racionalidade.

 3- é um existencialismo, pois a essência da vida é existir, pois é um projeto de um poder e ordem superior.

4-é um racionalismo – pois a vitalidade tem a sua própria forma de raciocino.




EXISTEM VÁRIAS FORMAS DE CONHECIMENTO E DE RAZÃO.

Entre eles a razão vital.

A existencialidade como objeto, meta e potencialidade de realidade.

A craciológica. O pode age em estruturas lógicas e fins a ser alcançados por meios, fases e inicio.

A de ordem superior – tem-se  neste ponto a racionalidade divina.
Assim, o conhecimento não está so na idéia, ou no inconsciente.´


O conhecimento das idéias é fruto e produto do estagio vital e de aprimoramento em que se encontra.


Ou seja, a vitalidade tem a sua própria realidade e racionalidade, e um conhecimento próprio. Como também um próprio ser. E própria razão. E produz a razão que o homem processa e tem como sua.

Assim, nos somos o resultado da racionalidade vital, e vitalidade racional, a existencialidade racional e o poder racional.


A racionalidade psíquica é fruto e produto do universo vital. Nos anseios, desejos, vontades, instintos, emoções, sentimentos, depressões, euforias, felicidades que são realizações do universo vital que afloram para o ser humano e outros seres.


E produzem o homem e a sua personalidade. O seu eu. O seu caráter. E o eu centrado.

O universo vital está dentro do homem, e o homem só é o que é o universo vital.

Ou seja, o universo vital não é o outro, mas sim o dento, e existe anterior ao homem.

Tudo que o seu consciente possa passar ou revelar, o seu universo vital já passou.

Mente vital aqui não é cérebro, ou idéias, mas todo desenvolvimento de poderes, potencialidades, funcionalidades, aprimoramentos que a vitalidade já passou e transcende aos descendentes.

A REALIDADE E O SER NÃO SÃO SÓ FÍSICO, QUÍMICO, ESPIRITUAL, MAS ESSENCIALMENTE CRACIOLÓGICO, VITAL, EXISTENCIAL E CONSEQUENTEMENTE METAFÍSICO.

O homem é um ser metafísico.

A racionalidade é metafísica.

Por isto que a realidade é também aquilo que não é visto, e nem sentido, porem ali se encontra atuando, direcionando e modificando a realidade, o ser e a própria realidade química, física e metafísica.


O HOMEM É UM SER EM VITALIZAÇÃO.

E é existencial [ vitaliza para existir].
Craciológico [regido por poderes].
Metafísico [ não só físico e químico]
Em interação com o cosmo.
De inconsciente vital.
De inteligência vital [existe uma inteligência regendo o universo vital e a própria vitalidade.].


NATUREZA VITAL  LÓGICA.

A própria natureza tem a sua forma lógica e racional de funcionamento, de aprimoramento e transcendência.


Tudo que o homem faz, realiza é o que universo vital que determina. Ou seja, o inconsciente vital e necessidades vitais direcionam o ser vivo para realizar as funções que a própria natureza vital necessita. Como reprodução, pensamento, visão, defesas biológicas, produção de hormônios, etc.

O homem não faz nada apressado que o seu universo vital já calculou, todos os riscos e resultados.


UNIFICAÇÃO BIOLÓGICA.

Todos os órgãos, funções, metabolizações, transcendência genética e vital, evolução, defesas e ataques, cérebro, pensamento, instintos, psiquê, etc são ferramentas criadas e aperfeiçoadas pela vitalidade e são formas de vitalização para ser ao universo vital, seus projetos e propósitos futuros.

Poder e potencialidade direcionada em direção à perfeição em prol da existencialidade.

A vitalidade produz a mente, o cérebro, as funções vitais, órgãos, por ter poderes e potencialidades.

Não está só na vontade de criar, aprimorar e manter o funcionamento, mas sim, há algo superior, uma ordem superior sobre todas as coisas.

E na vitalização há um poder inserido, projetado, metafísico que está além de qualquer vontade biológica ou psíquica.

A vontade biológica é uma consequência deste poder que rege a vida para funcionar e não errar.

Não é a vontade que constrói o cérebro, mas sim, o cérebro é construído para produzir pensamentos, atividades psíquicas para servir como ferramenta para a vida, a vitalização e a existencialidade.

E as aptidões do homem foram desenvolvidas por potencialidades e poderes vitais sempre no propósito do aprimoramento, da transcendência e consequentemente da existencialidade.

O propósito maior não está na vitalização, mas na essência da existencialidade. O ser vitaliza para existir. E fazer parte de um universo cósmico de poderes, potencialidades, fenômenos, e metafisicidade.

Ou seja, QUE É O SER É PARTE DE UM PROPÓSITO MAIOR, QUE É SER PARTE DE UM UNIVERSO CÓSMICO REGIDO POR UMA ORDEM SUPERIOR [ DIVINA].


Assim, o cérebro, a mente, órgãos, são uma só coisa. Que são ferramentas construídas para vitalizar funções especificas em prol da existencialidade.

DE COMO O UNIVERSO VITAL SE DIVIDE.
Por isto que o universo vital tem.

Inicio – poder e potencialidades, projeto e propósito.

Meio – funções, aprimoramentos, transcendências.

Fim – ser componente cósmico. E perpetuar a existencialidade como projeto e propósito da ordem superior.


DE COMO A REALIDADE METAFÍSICA E A FENOMENOLÓGICA PODE SER APRESENTAR.

1-Poder é o agente gerador e projetador das potencialidades, existencialidade e vitalidade.

2-Potencialidade é a capacidade que o universo vital tem de se aprimorar para qualquer forma de função.

3-Causa – é o que leva o fenômeno a acontecer e a suceder-se. 

4-Efeito – é o resultado da causa. Fenômeno em si. Puro ser.

5-Propósito – é o objetivo a ser alcançado. No caos ser um existente.

Há uma interdependência, interalação entre eles, mas, uma não é a outra coisa, ou condição de ser como realidade.



UNIVERSO METAFÍSICO.

O cérebro, a mente, os órgãos, a reprodução, o aprimoramento, a transcendência existem por que a vitalidade os desenvolveram por que precisava deles manter a existencialidade do ser e de seu universo metafísico, fenomenológico, potenciológico, craciológico, propositológico, químico, físico, e transcendental.




TEORIA DA VITALIZAÇÃO. [OBJETIVOS].

Teoria que defende a produção, funcionalidade, transcendentalidade, aprimoramentos por poderes e potencialidades vitais, metafísicas e poder divino.

E o propósito é a existencialidade e sua interação com o universo cósmico.

Fundamenta-se numa organização pré-determinada por poderes metafísicos e objetivo final [ a existencialidade].

Onde nada ocorre ao acaso. Pois tudo tem um objetivo e propósito para existir e transcender. Há uma ordem, objetivo e fim para ocorrer.

Ou seja, a realidade é formada de inicio, meio e fim. E há uma interdependência e interelação entre eles.

O propósito é o fim. Que é a existencialidade e a interelação com o cosmo.

Os fenômenos e a vitalização o meio. Processar a vitalização e a sua transcendência.

O inicio – é a ordem superior, o poder divino e vital, e as potencialidades.




NÃO É UMA TEORIA DE EVOLUÇÃO. MAS DE VITALIZAÇÃO METAFÍSICA E FENOMENOLÓGICA.

E com propósito a ser alcançado, com inicio, causa, meio e finalidade de ser [ a existência é a ordem], não ocorre por uma seleção natural, mas sim, por poderes e potencialidades metafísicos.

Não existem seres fracos na natureza, todos têm a sua função existencial, vital e biológica, pois todos são inseridos de poderes e potencialidades.

A transcendência não ocorre só por genes. Mas sim também por potencialidades, propósitos e direcionamentos. Inclusive quando um novo ser inicia a sua existência ele tem dois lados, o direito e o esquerdo, e que continua sendo a somatória dos seus lados por toda a vida, e transcenderá aos descendentes. Pois todo nosso funcionamento físico, químico, fisiológico, nervoso, psíquico, funciona em duas partes, que se complementam.

Pode-se comparar que todos os órgãos ou são em dois, ou tem dois lados. Da língua ao coração, o cérebro, ovário, testículos, etc.


Assim, a essência da vitalização é manter a existência e a própria vitalização. Pois é um funcionamento regido por poderes.


A vitalização são regidos por poderes, ordem, propósito, projeto, finalidade, meio, inicio, causa, fenômeno, funcionalidade, aprimoramento, transcendentalidade..




O SER VITAL CÓSMICO E DE INTERAÇÃO CÓSMICA.

O universo vital se complementa, age, é agido e interaciona pelo e no universo cósmico, existencial, espiritual, craciológico, e divino.

Ou seja, o universo interno do ser depende da interação com o universo cósmico, espiritual e divino.

Pois a vida para ter origem e ser processada depende de energia, elementos químicos dentro do ser e fora dele. Metabolizações de elementos químicos, temperatura interna e externa, pois o funcionamento metabólico e vital do ser muda em intensidade e em seus fluxos conforme a temperatura interna e externa.

Mesmo os ribossomos são produtores de energia para o organismo, e dependemos de gases externos para manter a vida e a produção de energia. O mesmo acontece com as plantas.

A vida também depende de variações astronômicas e de seus movimentos, onde os fluxos vitais mudam de intensidade. Pois durante o sono a metabolização da vitalidade é diferente. E a produção de hormônios também muda.


Ou seja, a vida faz parte de uma interatividade química e cósmica, logo o ser não é único, mas sim, universal. E suas necessidades e alcances vão além de seu corpo vital. Pois o ser para existir depende de condições cósmicas, químicas, físicas, e metafísicas.

Uma outra interação é a do espírito, pois quando somos gerados geramos o nosso espírito, que vai nos acompanhar por toda a vida. E é mais um ser-elemento que estará sempre do lado do nosso universo vital e fará para da interação cósmica.

Assim, estamos inseridos numa universalidade de providência e propósitos de uma ordem superior e interação cósmica.


Assim, a realidade é ordem superior, poder, potencialidades, metafisicidade, interação cósmica, existencialidade, vitalidade e universalidade.

E é ordem, harmonia, poder, potencialidade, interação, projeto, propósito e fenômenos.



O corpo, o ser que vive, o homem, o fenômeno são hospedeiros da ordem metafísica. Pois, o homem morre e a espécie não. O corpo interrompe o seu funcionamento, mas o seu filho continua vivo. O fenômeno é interrompido, mas o fenômeno persiste em outros seres e espécies.

O pensamento e a razão são interrompidos, mas há a razão metafísica, craciológica,  e vital em todos os seres.


A essência da vida é a existencialidade.
A essência da existência é a existencialidade vital, metafísica e craciológica.


A vida é construída pelo poder maior, ordem superior, divindade eterna.

Que não construíria uma realidade negativa, triste e sofredora.

Pois tudo no mundo é felicidade, exceto a dor.

Uma pessoa pobre pode ser mais feliz do que uma rica, pois a felicidade e sentimentos fazem parte de seu universo vital, processamentos, funcionamento e metabolizações vitais.


A existencialidade nunca é, foi ou será um nada. Pois todo ser quando nasce vêm ao mundo para interagir com o cosmo, fazer parte do cosmo e da realidade, ser um elemento do universo vital criado pela ordem superior.

Pois, não somos só seres fenomenológicos, mas também metafísicos, craciológicos, existenciais, vitais, sensitivos, psíquicos, transcendentais. E fazemos parte de uma obra maior, que é a obra da ordem superior.


Somos uma interação com o cosmo. Um projeto de ordem superior, um propósito de existencialidade. Logo, existir é o tudo, e é ser parte e um elo na transcendência da vida e da existencialidade. E também de interação com o universo.

E ser parte e elo na realização do projeto e propósito da ordem superior. Que é a ordem divina.



Sê o planeta Terra se distanciasse um metro a mais por ano do sol, provavelmente não haveria vida sobre a Terra.


O afastamento, a lateralidade, a rotação, a translação, os fluxos, as inclinações e elipses e suas variações numa ordem progressiva e lenta determina que há uma inteligência regendo o cosmo.

O fluxo estruturante na produção dos elementos químicos – de leves em pesados e de pesados em leves. E o fluxo na formação dos universos e suas fases de estruturação. E o mesmo na estruturação dos sistemas planetários.

Esta inteligência superior de ordem, harmonia, efeito, causa, origem, propósito, poder e potencialidades é que faz com que haja a vida, a transcendentalidade em direção a eternização.

A criação da vida, de poderes e potencialidades que dá para determinar que existem poderes e inteligências por trás deste universo vital, harmônico, ordenado, e de finalidade [propósito].

E que este universo é regido por propósito metafenomênico existenciais [pme]. Anterior a própria existência e imanente.



Autor – Ancelmo Luiz graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Rosa da penha, Cariacica, Espírito Santo, Brasil.


Colaborador. Márcio Piter Rangel.

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil - Direitos Autorais.

Agradeço a algumas faculdades que estão incluindo os meus trabalhos em seus currículos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário