sábado, 5 de março de 2011


Teoria vitaltranscendental.

O ser descendente recebe a herança funcional e genética de um desenvolvimento vital funcional e vitalprocessual anteriormente produzido e desenvolvido.

Os genes transfere a herança, mas a herança desenvolvida é a vital transcendental de todo univeros vital anteriormente processado e desenvolvido.

Vitaliun – teoria da unificação biológica e biopsicológica.

As características que são transmitidas aos descendentes não são por genes, mas sim por características do funcionamento processual e funcional metabólico físico e bioquímico que ocorre nas células.

O tipo de característica do funcionamento físico das células que são transmitidas aos descendentes que determina o tipo de ser, de mente, funcionamento vital e físico metabólico do novo ser.

O vitaliun é a característica viva do ser que é transmitida aos descendentes.

Na verdade é uma parte de dois seres que são transmitidos e formam um novo ser.

Esta parte viva que forma o novo ser é o vitalium.

A soma deste dois seres que forma um novo ser. E isto garante que possa haver sistema de mudança vital para os descendentes.


Seres que produzem a sua própria reprodução sem usar um outro de sexo diferente. Estes já criaram sistema de evolução para que haja uma melhora evolutiva e que se protejam de futuras doenças, pois criaram sistemas de defesa para esta evoluírem e que não venham a desenvolverem doenças.

Assim, não é são o gene responsável pela descendência, mas sim, o vitaliun que está presente em todas as células.

Assim, o novo ser é o prolongamento de um. No caso de seres que não precisam de outro de sexo diferente.

E novo ser que é o prolongamento de dois. No caso de seres que precisam de macho e fêmea para a reprodução.

As características funcionais metabólicas, físicas e bioquímicas, psíquicas, lógicas e racionais, vitais e reprodutivas são próprias e individuais de cada ser.

E estas características que são o vitaliun que formam o novo ser.


A produção de energia pelos ribossomos varia em intensidade e quantidade de ser para ser. E esta diferença que determina a funcionalidade vital de cada ser. E que vai produzir uma determinada produção bioquímica e metabólica.

Este conjunto de fatores que determina o que é o ser vivo. A sua mente, psiquê, reprodução e transcendência a novos seres.


Ou seja, o ser vivo é o conjunto de produção de energia, que produz a física, química, e metabolidade do ser.


O tipo deste funcionamento que determina a evolução de espécies pelo psíquico vital, e da mente do ser, e das características transmitidas nos descendentes.


É bom ressaltar que o funcionamento vital é regido por poderes divino, vital e psíquico.

O que se tem no novo ser que forma o seu vitaliun. O vitaliun funcional do ser que é transmitido ao novo ser e vem formar as suas características.

O VITALIUN É O UNIVERSO VITAL DO SER E É A TRANSCENDÊNCIA AO NOVO SER.

O novo ser é no seu todo o tudo que tem em seus dois transmissores [pais – macho e fêmea],

Ou no ser assexuado só recebe uma transcendência.



CÓDIGO VIVO, FUNCIONAL E COM CARACTERÍSTICAS PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA E DA VIDA.


Código vital pelo funcionamento vital.

Código psíquico pelo funcionamento vital e psíquico.

Código de produção de energia nos ribossomos pela produção de energia e funcionamento vital e psíquico.

Que produz a característica bioquímica e metabólica da vida e da mente do ser. Que vai determinar o tipo de vida e ser que o mesmo está processando e que venha transmitir aos seus descendentes.

Ou seja, o tipo de produção vital, psíquica e metabólica depende do tipo de produção de energia. Onde vai produzir no ser um tipo de bioquímica e de fases de transformação bioquímica e biofísica.


Esta característica de produção e funcional que produz o tipo de ser e de mente do ser.

E estas características funcionais e de produção que são transmitidas aos descendentes. E que é o vitaliun.





São códigos vivos e funcionais. E o que é transmitidos são estas características vivas, funcionais e de como estão sendo produzidas e processando energia, metabolidade, e processos bioquímicos e biofísicos.


Incluir a biologia, psicologia e fisiologia graceliana. Publicada na internet.

Que se unificam entre si como produtores e estruturas de fenômenos regidos por produções de energia dos ribossomos.

A produção de energia dos ribossomos é o agente regedor dos fenômenos psíquicos, vitais e biológicos.

Esta produção de energia dos ribossomos que determina a produção metabólica, bioquímica, biofísica e funcional dentro do ser vivo.

Os genes são também produções biovitais e bioquímicas, ou seja, o descendente é um prolongamento do ascendente. E os genes são funções vivas dos ascendentes que formam os descentes.

Ou seja, é o mesmo em outro espaço, que passam a produzir as suas próprias funções biovitais com tipo e características funcionais e metabólicas do ascendente. Logo, é outro e um prolongamento dos ascendentes [pai e mãe].


O mesmo acontece com a bioquímica do ser, a evolução, a mente e a fisiologia, o metabolismo, e todas os outros ramos da biologia. Fisiologia e psicologia.

Assim, a unificação ocorre numa dualidade.

Os poderes que regem e direcionam a biologia e psicologia na sua funcionalidade e desenvolvimento.

E a energia que acelera e produz os fenômenos.

E todos os ramos da biologia são formas e funções biovitais e metabólicas. Inclusive as de reprodução e as que levam ao desenvolvimento e a evolução.

A mente também ocorre por estes processos de produção de energia dos ribossomos, bioquímica e metabolismo.



O NOVO SER É UMA CONTINUAÇÃO DO PAI E MÃE PELO UNIVERSO VITAL.

Não é o gene que transmite as características. Mas as características funcional e individual de cada ser são transmitidas no todo funcional e individual. Ou seja, o óvulo e espermatozóide com todo seu universo vital, de poderes vitais e psíquicos e funcionais e metabólicos formam um novo corpo.

Cada ser tem o seu universo vital e funcional em processos e produção de energia, e esta carga do universo vital que dos dois ascendentes [pai e mãe] que forma o novo ser.

Ou seja, o universo vital funcional e em processos que cada um possui, e que o espermatozóide e óvulo também possui, tem características funcionais próprias.

1- E estas características funcionais que formam o novo ser.

2- E é nesta funcionalidade e processoalidade que forma o novo ser.

Ou seja, é o universo vital e funcional que se encontra no espermatozóide e óvulo que forma o novo ser.

E não só nos genes.

Ou seja, o óvulo e o espermatozóide como todas as outras células é um universo de tudo o que tem e já desenvolveu os pais, com as suas próprias características. Apenas há uma união de duas características diferentes formando um terceiro ser com as características dos dois ascendentes.


O que estou tratando aqui que todo o universo vital e funcional e em funcionamento processual não é só transmitido, mas é transportado o todo funcional e em processos onde continua sem interromper todo universo vital funcional e processual do espermatozóide e óvulo. 

Ou seja, é liberado ou retirado de um ser vivo e na forma viva e transportado para um outro local onde vai continuar os processos e o universo vital e processual em que ele se encontrava.

Ou seja, a vida não se reinicia, mas sim é transportada onde vai formar novos com as características dos pais.

As mudanças podem acontecer.

1- Entre a combinação do universo vital e funcional do pai e mãe.

2-E durante a vida e dentro do universo vital funcional e processual do ser.

Ou seja, o óvulo e espermatozóide são mais do que um material genético. Eles contêm a vida e características funcionais e vitais na sua essência de processos e metabolizações dos pais.

Ou seja, a vida não é só transmitida, mas sim transportada. Mudada de lugar onde vai ser formar um novo ser e continuar a vida dos ascendentes.


Características que são reveladas e surgem com a idade certa fazem parte do vitalium, pois o novo ser em cada fase de sua existência terá funções, metabolizações, produção de hormônios, processos biofísicos e bioquímicos, vontades e anseios psíquicos, vontades sexuais, aptidões lógicas e racionais, sentimentos e emoções, instintos e pulsões conforme fases especificas da idade vital do ser vivo.

Ou seja, estas características vitais estão no ser na forma de potencialidade que será aflorada e processada conforme as fases da idade vital de cada ser.

Esta potencialidade vital é mais uma prova que as características estão em todo universo vital da célula na sua forma processual, metabólica e psíquica celular transmissora [pct].

E não apenas nos genes. Pois a célula, o espermatozóide e o óvulo são um universo vital completo do ser.

Pois a vida não se refaz e surge uma nova, mas sim, ela é transmitida completamente de pai e mãe formando um novo ser que será a continuação dos ascendentes.


Pois o que nos interessa neste tratado é que.

1- a vida é transmitida.

2- Que a transmissão ocorre por processos biodinâmicos. E não estáticos.

3- Que o biodinâmico e vitaldinâmico carregam consigo as biopotencialidades, vitalpotencialidades onde partes das características do ser só serão afloradas no próprio quando o mesmo estiver naquela fase e idade para aquele determinado afloramento vital, psíquico, metabólico, funcional, bioquímico e biofísico, racional e outros.

Como exemplo, pode-se dizer. Vontades sexuais e reprodutoras com certa idade.

Doenças que surgem só com a idade.

Pensamento lógico.

E vários outros.

Assim, os genes são estruturas em produção vital, ou seja, em vitalização processual transmitindo e transportando características processuais já desenvolvidas.


Ciência da biopotencialidade. [Ver teoria da biologia craciológica graceliana].

O universo da vitalização cria potencialidades para a continuação e desenvolvimento vitais. Por um processo funcional e psíquico vital.



DENTRO DE UM GENE EXISTE UM OUTRO UNIVERSO SE PROCESSANDO COM ÍNFIMAS FUNÇÕES E VARIAÇÕES DE INTENSIDADES E CAPACIDADES PARA PRODUZIR ÍNFIMAS METABOLIZAÇÕES.


DENTRO DE UM GENE EXISTE UM OUTRO UNIVERSO SE PROCESSANDO E COM TANTAS PARTES, OU MAIS, E FUNÇÕES QUANTAS AS CÉLULAS DE UM CORPO HUMANO, E MAIS DA QUANTIDADE DESTAS CÉLULAS QUE FORMA UM CORPO.

POR ISTO OS GENES SÃO FORMAS DE PROCESSOS VITAIS – VITALIZAÇÃO – COM FUNÇÕES BIOQUÍMICAS, BIOFÍSICAS E BIOPSÍQUICAS. E CRIA E DESENVOLVE POTENCIALIDADES E FUNÇÕES PARA TRANSMITIR AOS DESCENDENTES.

NÃO É SÓ UM REGISTRO, MAS O REGISTRO É UMA CONSEQUÊNCIA DA FUNCIONALIDADE DESTE UNIVERSO VITAL.

NA VERDADE, O SER TRANSMITE E TRANSPORTA PARA OUTRO SER ESTA FUNCIONALIDADE COM TODA SUA FORMA E CARACTERÍSTICA E INTENSIDADE DE PROCESSAR E PRODUZIR SUAS FUNÇÕES VITAIS, BIOFÍSICAS, BIOQUÍMICAS E BIOPSÍQUICAS.








































Nenhum comentário:

Postar um comentário